Desbravando: Deserto do Atacama e Salar de Uyuni

Queridxs seguidxres, compartilho com vocês nesse post as ultimas férias e algumas reflexões sobre as minhas experiências.

Dessa vez, o incrível destino foi o Deserto do Atacama. Ele está localizado no Chile e é o deserto e mais alto e seco do mundo. Sua extensa área está a 2440 metros acima do nível do mar, sendo que alguns passeios podem te levar a pontos acima dos 4000 metros.

Sei que você deve estar se perguntando o porquê de eu visitar lugar sem acessibilidade? É porque sou aventureira? Destemida? Desbravadora?

Claro que eu não estava sozinha. O meu “forte” amigo, Pedro, estava comigo. Gosto de sua companhia, além do fato dele sempre me dar uma forcinha quando eu preciso.

Algumas pessoas com deficiência se posicionam da seguinte maneira: “Eu não vou em lugares que não possuem o mínimo de acessibilidade”. Mas o que é isso? Um sentimento de protesto ou apenas porque preferem o conforto e a comodidade? Não importa qual seja uma das diversas razões, as pessoas são diferentes e cada um tem a sua razão, não é mesmo?

Algumas pessoas vão porque tem o desejo de conhecer o local e, nesse caso, a falta de acessibilidade não é impedimento suficiente. Isso pode ser visto como um sentimento altruísta, de se fazer presente, mostrar que existem necessidades diferentes. Assim, somos “os desbravadores”, com o objetivo de sensibilizar, educar, informar e ajudar na construção de um mundo que realmente seja para todos, onde o direito de todos seja cumprido.

 

Um amigo americano, Dr. Scott Rain (in memorian), era usuário de cadeira de rodas e especialista em Turismo inclusivo. Ele desempenhou um papel muito importante na coleta de informçaões sobre esse segmento do turismo  no mundo. Viajou para vários países, incluindo Brasil e Nepal, para fazer consultorias e preparar um mundo dentro do conceito do desenho universal.

Esse moço ativou o meu sentimento de aventureira e me inspirou  a fazer essas viagens para levar a possibilidade de mudanças.

 

Durante o planejamento da viagem para o Deserto do Atacama, fiz contato com o Mike, dono da agência Aylluatacama e apresentei o meu projeto. Ele se mostrou um empresário sensível e preocupado em atender bem o ser humano e, por isso, demonstrou grande interesse. Foi um bom começo!

Aylluatacama, agencia de Turismo mais top de San Pedro.

Firmamos a parceria onde eles me levariam para os passeios e, em contrapartida, eu deixaria registrada a minha opinião sobre as possibilidades de usufruir desses lugares.

Nada técnico, né gente?, pois não tenho conhecimento suficiente para isso. Mas uma coisa eu sei: a diferença entre quando consigo fazer algo com autonomia  e quando preciso de ajuda para desfrutar dos prazeres de um lugar.

Geralmente locais de beleza natural me encantam, embora saiba que a maioria deles são de difícil acesso, até para pessoas que não possuem limitações.

E claro: Na imaginação podemos tudo 🙂  😉  não é verdade?

Os passeios são todos maraaa!

E esses são todos os que tive o prazer de fazer:

Em Laguna Cejar… beleza absurdaaaaa!!! Com minha a Hand bike e a ajuda do Pedrão foi possível dar um rolé.

Conversando com o guia, Mário, ele me disse: “Tina, aqui tem alguns lugares possíveis de chegar em cadeiras de rodas, com ajuda, mas o Atacama ainda usa fraldas em relação à acessibilidade”

Géiseres del Tatio

Vale da Luna – dá pra dar um rolé de carro, pois o visual da estrade vale!!! Também dá pra descer e não se locomover, pois o chão é muito irregular.

E ver o por do sol…  chocada com a beleza!!!

Laguna escondida  e Pedras Rokas – segundo informações dos guias, apenas a primeira lagoa e o primeiro visual são possíveis de chegar.

 

SALAR DE UYUNI

Salar de Uyuni (ou Salar de Tunupa) é o maior e mais alto deserto de sal do mundo, com 10.582 quilômetros quadrados e a 3.656 metros acima do nível médio do mar. Ele está localizado nos departamentos de Potosí e Oruro, no sudoeste da Bolívia, perto da borda da Cordilheira dos Andes.

Para ir até o Uyuni desde o Chile é um passeio de difícil acesso, muitas horas de Jipe! ufffff

É preciso  muita disposição e desprendimento para dormir em lugares precários em todo o trajeto dentro da Bolivia.

Contando com muita ajuda para subir e descer do jipe, fui e valeu a pena o visu do deserto de sal.

Sobre banheiros acessíveis… não os vi por nenhuma parte, seja na cidade de San Pedro, no trajeto dentro da Bolívia ou nos passeios. Como disse meu amigo Gilberto Porta: “Perrengue em lugares turísticos sem acessibilidades a gente até passa… mas usar  banheiro é um momento muito íntimo, isso não, é muito difícil”

Hotel de sal (Os tijolos, o chão, tudo feito de sal)!!!!

Vi duas pessoas locais em cadeiras de rodas circulando pela cidade e ouvi dizer que alguns cadeirantes aventureiros já passaram por lá e fizeram alguns passeios.

Eu deixo aqui o meu sentimento de gratidão pelo Mike, que se interessou por nossa causa; e à sua competente equipe que me atendeu com muito carinho e atenção.

Se for viajar para o Deserto do Atacama, recomendo com entusiasmo a melhor agência de San Pedro!!

http://www.aylluatacama.com.br

Anúncios