Princesa por um dia.

Não me basta ser uma espectadora gosto de participar.
Embora não me identifico com uma princesa e com as fantasias dessa personagem, fui princesa por um dia na tradicional festa dos Catopês em Montes Claros.

 Respeito e admiro a cultura popular e suas tradições.

Me surpreendi com beleza da decoração nas ruas.

Mestre Zanza, presidente da Associação dos Grupos de Catopês de Montes Claros.  Se dedica a mais de 70 anos a causa congadeira.

Eu era a unica princesa caderiante da festa.

Fui recebida com muito carinho por todas as princesinhas.

Os dançantes ou Catopês, dançam em homenagem a Nossa Senhora do Rosário e São Benedito.

… a festa apenas quer brincar com os sentidos, o sentido e o sentimento. E não existe nada mais gratuito e urgentemente mais humano do que exatamente isto”  (Brandão, 1989)


-Vem Tina

 Ah querida eu não posso descer, aqui no meio fio não tem rampa de acessibilidade.

(Por todos os lugares que andei na cidade eu não vi rampas, isso dificultou minha autonomia e independência).

– Obrigada por sua presença Tina descolada, você fez a diferença. Quem sabe ano que vem temos mais princesas cadeirantes na nossa festa e rampas de acessibilidade para você ir e vir pra onde quiser.

Anúncios