Nepal: olhares mansos…

Apesar de ser diferente daquelas pessoas eu fui aceita e muitos me olharam com carinho, todos queriam tirar fotos comigo.

 As Monjas Budistas me olharam com muita doçura!!!

 As crianças… eu adorava todas!!!

  Essa senhora com “olhar rural” hehe… parece duro??  Esconde uma gentileza, ela me pediu para fazer uma foto com ela.

 Bonitinhos!!!


Como disse o Rubem Alves em um livro seu, que gosto muito: “A porquinha do rabo esticadinho”

Todos queremos ser iguais: falamos coisas parecidas, rimos risos parecidos, comemos coisas parecidas, vestimos roupas parecidas. E gostaríamos de pertencer a grupos de pessoas que se parecem: clubes, torcidas de futebol, igrejas, escolas…
Quem não pertence ao bando dos iguais fica de fora…”

Apesar de não ser “igual” eu procuro não me excluir, frequento todos os lugares, faço a minha parte, fico por dentro.
“Todos gostaríamos de olhares mansos” (Rubem Alves)

Anúncios